Sejam bem-vindos ao Chris Hemsworth Brasil! Somos um site criado por fãs, sem fins lucrativos, com o objetivo de informar. Não temos contato com Chris Hemsworth ou seus agentes e é proibida a cópia total ou parcial deste site. Todo o conteúdo é creditado aos seus devidos criadores.

Nosso site, junto a outros fan sites brasileiros participantes, Mídia Ninja, Quid e Nossa, fomos premiados no Shorty Impact Awards, pela ação “Assemble to Vote”, realizada no ano passado em prol do voto (principalmente o não obrigatório) nas eleições de 2022.

A campanha ainda mobilizou estrelas nacionais, como Juliette e Fábio Porchat, mas também contou com o apoio de atores da primeira geração do Marvel Cinematic Universe. No grupo dos “vingadores” estavam Chris Hemsworth, Mark Ruffalo, Robert Downey Jr., Samuel L. Jackson, Don Cheadle e Benedict Wong. Os atores se juntaram ao “twitaço” com a tag #NemTodoHeroiUsaCapa e citaram tweets de brasileiros que falavam sobre a importância do voto, da democracia e da relevância dos temas sociais e ambientais para o Brasil e o planeta.

Resultados

A ação aconteceu dois dias antes das eleições presidenciais e, pela primeira vez na história do Brasil, a participação no segundo turno foi maior que no primeiro, aproximadamente 500.000 pessoas que não compareceram para votar no primeiro turno decidiram sair e votar no segundo!

A premiação

O Shorty Impact Awards é uma premiação internacional dedicada a homenagear os trabalhos mais significativos e impactantes que as organizações estão realizando para tornar o mundo um lugar melhor. Além de vencer a categoria “Organizações sem fins lucrativos”, a ação foi finalista em “INFLUENCERS E CELEBRIDADES” e ganhou menção honrosa em “CHAMADA PRA AÇÃO”.



Fonte: EW
Tradução e adaptação: Equipe CHBR.

Thor pode ser o deus do trovão e do relâmpago, mas quando se trata de sua vida amorosa, as faíscas não estão exatamente voando. O super-herói de cabelos dourados interpretado por Chris Hemsworth cresceu bastante desde que pousou na Terra em sua estreia no MCU em 2011. Ele salvou o universo inúmeras vezes, ele cresceu mais confiante como guerreiro e líder, ele até reconstituiu seu relacionamento conturbado com seu irmão (embora ele ainda não tenha perdoado Loki pela coisa da cobra).

Mas em Thor: Amor e Trovão que chega aos cinemas brasileiros no dia 7 de julho, nosso herói hercúleo ainda está incerto, ansiando por encontrar seu propósito neste universo amplo e caótico. E quando um rosto familiar retorna, empunhando um martelo igualmente familiar, Thor se vê enfrentando uma ameaça ainda mais mortal que Hela ou Thanos: um romance.

Amor e Trovão é o quarto filme solo de Thor, e pode ser sua aventura mais ambiciosa até agora. O diretor Taika Waititi ajudou a revigorar o herói asgardiano com o delicioso Thor: Ragnarok de 2017, e quando ele começou a pensar em uma sequência, tudo o que sabia era que queria empurrar o personagem para um território ainda mais inesperado.

“O que eu não queria era apenas fazer Ragnarok novamente, porque isso já foi feito”, disse Waititi à EW. “Eu precisava fazer algo mais interessante para mim mesmo para manter a coisa toda acesa e ter certeza de que estou me sentindo criativamente estimulado. Eu pensei, qual é a coisa menos esperada com essa franquia?”.

A resposta acabou sendo amor. Amor e Trovão é constituido de parte da extravagância dos super-heróis e parte comédia romântica, reunindo Thor com sua ex-namorada astrofísica Jane Foster (Natalie Portman). Desde que os dois se separaram, Jane provou ser digna de carregar o Mjölnir e assumiu o manto da Poderosa Thor. Ela se tornou uma heroína por direito próprio, com os músculos e cabelos loiros esvoaçantes para provar isso. (O filme em si se inspira nos influentes quadrinhos Mighty Thor de Jason Aaron e Russell Dauterman, que primeiro apresentaram Jane como uma heroína empunhando o martelo).

Boa parte de Amor e Trovão se baseia na última aparição de Thor em Vingadores: Ultimato, que encontrou o príncipe Asgardiano lutando contra a culpa e a dúvida. Em última análise, ele e seus colegas Vingadores triunfaram em sua batalha contra Thanos, mas parte dessa incerteza ainda permanece.

“Ragnarok parecia uma festa”, explica Waititi. “Foi bastante festivo. Este ainda é divertido, e tem momentos de exagero, mas tematicamente, é sobre algo um pouco mais profundo do que o último filme. Não é um filme sério e não é um drama, mas nós lidamos com ideias com as quais eu acho que muitos humanos lidam – temas universais sobre amor, perda e nosso lugar no mundo. Todo mundo meio que faz essa pergunta no filme: Qual é o seu propósito? Qual é a razão pela qual você é um herói e o que você faz quando tem esses poderes?”.

“É meio como um filme de crise de meia-idade, na verdade”, acrescenta Waititi. “Essa é a pergunta que fazemos a todos: estamos fazendo a coisa certa e estamos fazendo tudo o que podemos no mundo? Acho que agora, enquanto o mundo ainda está se recuperando dessa pandemia, é uma boa pergunta a ser feita. Tipo, ‘bem, estamos fazendo o suficiente para cuidar uns dos outros e cuidar de nós mesmos’?”.

Enquanto Thor procura por auto-realização, Jane não é o único rosto familiar que ele encontra. O próprio Waititi está de volta como o monstro do rock Korg, enquanto a Valquíria de Tessa Thompson abraçou seu novo papel como Rei de Asgard, governando o pequeno reino que seu povo fundou depois que o reino original foi destruído. De certa forma, segundo Waititi, Valquíria está prosperando como rei, mas passar do campo de batalha para a burocracia exigiu alguns ajustes. “Ela tem que fazer todas as coisas que eles nunca falam quando normalmente você tem que governar um povo, que é lidar com toda a infraestrutura, descobrir a economia e receber a visita de políticos de outros países”, explica ele. “Então, ela está gastando muito tempo sem lutar, e todas as suas novas batalhas têm a ver com governar seu povo”.

Amor e Trovão também apresenta vários recém-chegados, embora o diretor seja mais discreto sobre seus papéis. Christian Bale está interpretando o nefasto Gorr, carniceiro dos deuses, e Waititi elogia o desempenho de Bale, chamando-o de “muito formidável”. “Pessoalmente, acho que ele é provavelmente um dos melhores vilões que a Marvel teve em seus filmes”, acrescenta Waititi. “Ele é muito versátil”.

Waititi é ainda mais reservado sobre o papel de Russell Crowe como o deus Zeus, mas provoca que Crowe desempenha o papel de “uma maneira que você nunca viu Russell antes”.

“Considero Russell um amigo e esqueço que tenho alguns amigos que são realmente incríveis no que fazem”, diz Waititi com uma risada. “Quando eu estava no set com Russell, eu estava tipo, ‘Oh merda, isso mesmo! Você é Russell Crowe! Você é um ator realmente incrível!'”.

Se Ragnarok foi uma ópera espacial inspirada nos anos 70, Amor e Trovão tem uma vibe de aventura mais dos anos 80. Visualmente, Waititi diz que algumas de suas maiores influências foram “posters de filmes de coisas como Conan ou Beastmaster e a arte extravagante que você vê em vans em Venice Beach”. Mas, em última análise, ele diz que seu principal objetivo era entregar uma sequência tão grande, ousada e hilária quanto Ragnarok – se não maior.

“Acho que a maior diferença seria que foi minha primeira vez jogando no poço de areia da Marvel em Ragnarok”, diz Waititi. “Neste aqui, senti que tenho um pouco mais de experiência e sabia como filmar com muito mais eficiência”. E ele sabe que, às vezes, um raio pode cair duas vezes no mesmo lugar.



Continuação da parte 1 da entrevista à Variety.

Hemsworth é mais sincero do que a maioria das estrelas de cinema é sobre sua carreira, tanto seus sucessos – que ele ainda luta para possuir – quanto suas falhas de direção. Ele não gosta tanto de seu desempenho em 2015 como hacker de computador em “Hacker” (Blackhat) de Michael Mann, que não se conectou com o público. “Eu não gostei do que fiz no filme”, diz Hemsworth. “Parecia simples e era também uma tentativa de fazer o que eu achava que as pessoas queriam ver. Mas eu não acho que seja bom nesse espaço. ”

Ele não tem certeza do que aconteceu com “O Caçador e a Rainha de Gelo” (Huntsman: Winter’s War) de 2016. Em vez de trazer Stewart de volta, o estúdio adicionou Emily Blunt e Jessica Chastain ao elenco. “Eu acho que nunca chegamos ao ponto do filme”, diz ele. “Eu pensei que queríamos fazer uma versão não tão escura. Eu senti como se estivesse em um filme diferente. Eu estava fazendo uma coisa, e houve essas performances bastante dramáticas, que foram brilhantes ”.

E ele revela que quase desistiu de um de seus papéis favoritos em “Caça Fantasmas” (Ghostbusters) de 2016, dirigido por Paul Feig. “Na noite anterior à minha filmagem, eu quase
saí”, diz Hemsworth. “Três ou quatro semanas antes, Paul me disse: ‘Vou reescrever o personagem. Não se preocupe.” E então eu peguei o roteiro e nada havia mudado.” Seu agente, Bryan Lourd, marcou uma reunião de última hora com Feig, que lhe garantiu que haveria muito o que fazer – por meio da improvisação. “Eu estava realmente com medo de andar sobre esse conjunto”, diz Hemsworth. “Eu não tinha um plano real, então eu estava me alimentando deles e me senti ridículo. Então eu usei isso.”

A receita da carreira para surpreender-se levou-o a “Homens de Preto: Internacional” (Men in Black: International), que transporta seus dois heróis de Nova York para Londres, Paris e Marrocos. “Ele foi a minha primeira escolha”, diz o diretor F. Gary Gray. “Há uma diferença entre superstars e atores que estudam seu ofício. Ele é uma combinação dos dois. Você não pode mencionar o nome de Chris Hemsworth sem que as pessoas fiquem loucas. ”

 

 

Como um jovem ator, Hemsworth teve sua grande conquista em 2004 como um adepto do ensino médio na novela australiana “Home and Away”. “Um grande motivo para eu começar a atuar foi porque eu amava cinema e TV, mas era como se não tivéssemos dinheiro ”, diz Hemsworth, que é o filho do meio. (Seus outros irmãos, Luke e Liam, também são, é claro, atores.) Ele estabeleceu uma meta para ajudar seus pais financeiramente. “Eu queria pagar a casa deles, inicialmente. Esse foi o meu tipo de coisa.”

Isso colocou uma tremenda carga sobre ele, o que, em retrospecto, fez com que ele ficasse duro demais nas audições. “Eu quase sempre coloco muita pressão em mim”, diz Hemsworth. “Se eu não tivesse tomado conta de mim para cuidar da minha família, eu poderia estar mais relaxado.” Depois de deixar “Home and Away” em 2007, ele lutou para conseguir qualquer papel importante em Hollywood. “Lembro-me de ter feito um teste antes do Natal, um ano, onde as coisas não estavam indo bem”, diz ele. “Eu parei de receber retornos e recebi um feedback pior. Eu pensei: “Deus, por que eu fiz isso?”

Algumas das quase falhas quebrou seu coração. “Eu cheguei muito perto de ‘GI Joe‘”, diz ele sobre o herói de ação interpretado por Channing Tatum no sucesso de verão de 2009. “Eu cheguei muito perto de Gambit nos filmes  X-Men do Wolverine.” Em vez disso, Taylor Kitsch foi escalado. “Na época, eu estava chateado”, diz Hemsworth. “Eu estava ficando sem dinheiro. Mas se eu tivesse interpretado esses personagens, não teria sido capaz de interpretar Thor. ”

De muitas maneiras, o deus nórdico resgatou Hemsworth, pelo menos profissionalmente. Hemsworth foi notoriamente ignorado pela primeira vez que fez o teste. E só voltou para ele quando insistiu em tentar novamente. Mesmo depois de derrotar centenas de outros atores para o papel, ele não conseguiu tirar suas próprias dúvidas. “Eu nunca fui capaz de sentar e estar no momento”, diz Hemsworth. “Desde o primeiro filme, era sobre: eu vou ser reformulado? Eles vão mesmo fazer uma sequela? Alguém vai aparecer para ver o filme?”

Eventualmente, ele encontrou uma segunda casa no universo Marvel. Ele conta muitas de suas coestrelas como amigos próximos. “Há um elemento de mentor com Downey”, diz Hemsworth. “Há uma amizade incrível com Scarlett e [Jeremy] Renner e [Mark] Ruffalo. Com Chris Evans, eu tenho uma ligação muito fraternal. Eu acho que ele não iria nos acompanhar nessa turnê de imprensa, porque passamos o tempo todo dando voltas e nada disso está no tópico. ”

 

 

Perguntado sobre isso mais tarde, Evans ri e confirma que é verdade. “O que são esses touros!”, Ele diz. “Nós nos divertimos muito juntos, e realmente somos como crianças na escola, fomos separados porque não estávamos fazendo direito.” (Evans tem uma ideia para um filme que eles poderiam fazer juntos: “Eu adoraria fazer uma daquelas comédias de amigos dos anos 80, onde poderíamos lançar os personagens pelos quais somos conhecidos. ”)

De volta à Marvel, depois de alguns filmes, Hemsworth estava se sentindo limitado pelo comportamento rígido e adequado de Thor. Quando o terceiro filme, “Thor: Ragnarok” de 2017, chegou ele se aproximou do produtor Kevin Feige com um tom radical. “Depois que eu fiz o ‘Vingadores’ e o ‘Thor 2’, eu me senti um pouco preso”, diz Hemsworth. “Eu senti como se eu tivesse sido rotulado por quem estava escrevendo esses roteiros. Eu sinto que os criadores estavam presos em onde eles poderiam levar o personagem, e isso era tudo que ele tinha para oferecer? Eu senti que havia muito mais que poderíamos fazer.”

Hemsworth imaginou uma evolução cômica mais despreocupada para Thor, que o diretor Taika Waititi viu como uma abertura para muito mais divertida. “O personagem sempre foi tão estoico”, diz Waititi. “Eu entendo de onde eles vieram, porque ele é tão velho. A ideia era que ele visse tudo e nada o perturbasse. Infelizmente, isso não é uma receita para um grande personagem. ”

Ironicamente, Hemsworth credita o filme que ele quase deixou – “Ghostbusters” – com plateias primárias para aceitar a vez de Thor de fazer comédia maluca. Ele gostaria de ter feito uma sequência de “Ghostbusters”, e ele ainda não perdoou os fanboys online que atacaram violentamente o reboot porque as novas estrelas eram mulheres. “Esse período todo eu fiquei tipo, ‘Qual propriedade vocês têm sobre esses personagens?’”, Diz Hemsworth. “Oh, você assistiu ao filme, portanto você deve ter uma opinião sobre onde ele vai? Eu achei que foi muito infeliz e meio decepcionante ”.

Enquanto alguns de seus colegas da Marvel parecem que estão se aposentando do mundo dos super-heróis, Hemsworth ainda não está pronto para desistir do martelo de Thor.
“Eu ainda adoraria fazer mais, para ser honesto”, diz ele. “E eu não sei qual é o plano. Eu sinto que abrimos um personagem tão diferente. Sinto-me mais energizado pela possibilidade de onde poderia ir. ”Hemsworth faz uma pausa para considerar outro resultado. “Mas vou usar isso em outros lugares e outros personagens, se é o fim aqui.”

 

Tradução por Ravena.

Fonte



Depois de viajar o mundo divulgando Vingadores: Ultimato (Avengers: Endgame) em que Chris volta a interpretar o deus do trovão Thor, ele retornou para a Austrália para ficar com a família. Quando voltou, os filhos (India, 7 anos, e Tristan e Sasha, 5 anos) convenceram ele a levá-los no cinema. Depois de assistir Vingadores na premiere de Los Angeles, Chris agora ia comprar ingressos para levar seus filhos.

“Meus filhos estavam morrendo pra ver isso”, ele relembra. “Eu não ia levar eles. Eles tavam tipo, ‘Papai, nós temos que ir!’ Nós achamos um cinema pequeno então nós não íamos ficar sobrecarregador. Eu pensei se isso ia captar a atenção deles por 3 horas.” Ele fez uma pausa. “Eles amaram.”

E ninguém notou o Thor de 1,90m lá no cinema? “Nós tínhamos nossos assentos no fundo,” Hemsworth explica. “Eu estava de chapéu. Nós entramos no cinema na hora que tava passando o trailer de  ‘Homens de Preto’,” Ele fala sobre seu novo projeto. “Foi tipo um sucesso duplo.”

Nesse outono, Hemsworth está tentando fazer uma coisa muito rara em Hollywood: ir e voltar em blockbusters. “Vingadores” já arrecadou $2.6 bilhões de dólares ao redor do mundo, e está perto de alcançar “Avatar” como maior bilheteria da história. Se Hemsworth conseguir transforma o quarto filme da franquia de Homens de Preto em outro grande sucesso, ele vai consolidar seu status como um dos maiores e mais rentáveis atores no mundo.

Isso não é fácil como uma vez foi. Hemsworth que hoje tem 35 anos, está totalmente ciente de como é desafiador atrair o público para o cinema, um passatempo que ele ama desde que era um menino crescendo em Melbourne. E no mundo pós Thor, liderando uma franquia grande nunca foi tão complicado. Enquanto os 22 filmes do Universo Cinematográfico da Marvel tem sido todos massivos, eles também tem sugado muito oxigênio, quebrando outros projetos em seu caminho. Como resultado, os orçamentos de estúdios concorrentes estão diminuindo. “Homens de Preto: Internacional,” que custou $110 milhões de dólares para ser feito, é um grande risco para a Sony Pictures, que espera revitalizar uma franquia de 22 anos atrás para uma nova geração.

 

 

Por agora, Hemsworth está acostumado a atuar ao redor de telas verdes e alienígenas. Ele foi ajudado a conduzir grandes prioridades, de “Star Trek” em 2009 do J. J. Abrams até o primeiro Thor, em 2011. Ele foi o herói fanfarrão de “Branca de Neve e o Caçador”, um sucesso surpreendente de quase $ 400 milhões pelo mundo, embora a sequência não tenha sido bem sucedida. E ele provou que ele rouba o coração das feministas por virar a mesa em clichês tradicionais de comédias românticas quando interpretou o recepcionista gostosão Kevin, no remake feminino de “Ghostbusters” (2016).

Downey Jr. (Homem de Ferro) nota o clima recorrente nos negócios cinematográficos. “Que dizer, veja, é um momento interessante,” diz o ator, que ficou amigo de Hemsworth no decorrer dos anos gravando Vingadores. “Todos os desafios para todos nós, tendo mais algumas danças com a Marvel ou não, é sempre presumimos que somos os predadores de ponta na idade de ouro da história. Então, a cada 10 ou 12 anos, ele se inverte e se torna algo novo. Quem sabe o futuro da Marvel?”

Em um dia de primavera em Los Angeles, Hemsworth se senta com a Variety para uma conversa sobre seu relacionamento e seu trabalho. “Eu perguntei a Tom Cruise anos atrás o que o levou a tomar certas decisões sobre filmes”, diz Hemsworth. “Ele disse: ‘Eu só quero que as pessoas vejam meus filmes. Eu não quero colocar tanto sangue, suor e lágrimas nele, e fazer com que ele venha e vá embora.ʼ” Como ele ganhou seu próprio estrelato, Hemsworth adotou uma filosofia similar – ele quer que as pessoas vejam seus filmes na tela grande. “Eu simplesmente amo a experiência teatral”, diz ele. “Acho que não há nada como isso, e a indústria mudará em grande escala se não levarmos as pessoas ao cinema.”

Ainda assim, ele reconhece que não há muitas oportunidades que possam competir com o papel de um super-herói da Marvel. Hemsworth foi contratado para interpretar Hulk Hogan em um filme biográfico dirigido por Todd Phillips, e ele assinou contrato para “Down Under Cover”, uma comédia de amizade com Tiffany Haddish, vendida por 40 milhões para a Paramount Pictures fora do Festival de Cannes. Ambos os anúncios foram recebidos com aplausos no Twitter. (Hemsworth é um astro do rock nas redes sociais, com cerca de 34 milhões de fãs no Instagram depois de suas últimas aventuras – muitas vezes na praia ou com algumas criaturas australianas).

Ele diz que ficou mais seletivo com a experiência. Ele recusou a próxima sequência de “Star Trek” porque ele não foi vendido no roteiro. “Eu não senti que chegamos a um motivo para revisitar isso ainda”, revela ele. “Eu não queria ficar desapontado com o que eu ia trazer para a mesa.” Seu nome foi citado como substituto de James Bond depois que Daniel Craig se aposentar. Ele está aberto à possibilidade, mas também endossa outro candidato. “Meu voto seria Idris [Elba]”, diz ele. “Eu acho que ele daria um tipo diferente de arrogância também, e cada vez que alguém novo entra no papel, acho que você tem que oferecer algo diferente”.

 

 

Esse tem sido o seu próprio lema. Hemsworth, cuja criatividade sempre foi alimentada por uma certa inquietude, não quer ser uma estrela de ação sem graça. Basta olhar para sua parte em “Ultimato”. Ele empurra Thor em direções inesperadas como um Vingador no exílio, tendo o herói desenvolvendo uma barriguinha e crescer uma barba desgrenhada. “Rapaz, ele ficou maluco”, diz Downey Jr. “Ele saiu para a beira do sangramento. Eu tenho uma regra, que é se você acha que está com 70%, então comece a puxar para trás, porque provavelmente está em 105. Ele saiu para uma atmosfera bastante arriscada. ”

No set, Hemsworth chamou a si mesmo de “Thor Lebowski ”, uma referência ao preguiçoso interpretado por Jeff Bridges na comédia dos irmãos Coen. “Eu gosto disso tudo”, diz Hemsworth. “Você não está preso às expectativas.” Originalmente, Thor deveria voltar ao seu antigo eu no meio de “Ultimato”, mas Hemsworth lutou para manter seu corpo em forma de pera. “Eu gostei dessa versão do Thor”, diz ele. “Foi tão diferente de qualquer outra maneira que eu interpretei o personagem. E então assumiu vida própria. ”

Anthony Russo, que codirigiu o filme com seu irmão, Joe, diz que o arco de personagem de Thor era o favorito dele. “Parte da mágica de Chris como ator cômico é sua dedicação à profundidade do personagem em um nível muito sério”, diz Russo. “Nós amamos esse tipo de artistas. É tão tortuoso e subversivo quando a comédia está vindo de um lugar de total comprometimento e complexidade emocional ”.

Hemsworth saboreou a transformação. “Fisicamente, foram três boas horas de cabelo e maquiagem”, diz ele. “Então o traje protético, particularmente para a cena da camiseta, era um silicone grande que pesava cerca de 90 quilos. Foi certamente exaustivo. Eu tinha pesos em minhas mãos e tornozelos apenas para ter meus braços e pernas balançando de forma diferente quando eu andava pelo set. ”

Algumas de suas coestrelas o provocaram entre as tomadas. “As pessoas continuavam chegando e me acariciando como um grande urso ou esfregando minha barriga como se estivesse grávido”, diz Hemsworth. “Ou tentando sentar no meu colo como se eu fosse o Papai Noel. Você tem muito carinho. Eu me senti como um homem velho, um vovô, com um monte de crianças por perto. E então você cansa das pessoas agarrando sua barriga. ‘Não me agarre assim!ʼ Eu sei como minha esposa” – a atriz e produtora Elsa Pataky – “sentiu quando estranhos apareciam e esfregavam sua barriga”.

 

Clique aqui para ler a parte 2 da entrevista.



Há alguns dias, Chris foi visto em um hotel próximo às gravações de Guerra Infinita (Infinity War), o próximo filme da franquia dos Vingadores. Nos últimos dias, Chris e Mark Ruffalo (Bruce Banner/Hulk) foram vistos por fãs na cidade de Edimburgo, na Escócia, onde parte das gravações do filme estão sendo feitas. Guerra Infinita também está sendo filmadas em outros locais. Não está claro o que está sendo filmado na Escócia, mas já temos algumas fotos do set de filmagens.

A kebab shop set has signs reading "We will deep fry your kebab"

Green screen and coffee shop Waverley set

Outros atores como Paul Bettany, Elizabeth Olsen e Chris Evans também foram vistos nas gravações na Escócia, enquanto outra parte do cast foram vistos filmando em Atlanta.

Chris tirou foto com alguns que fãs que disseram que elefoi muito legal e simpático,e disse estar gostando muito da cidade.

Fonte



Durante a gravação de uma cena de luta, entre Thor e Visão, em Londres Joss Whedon respondeu algumas perguntas de jornalistas no set e falou um pouco sobre a continuação de Vingadores.

“O elenco é maior. As apostas são maiores. Temos mais com que trabalhar. Temos um mundo maior para explorar e um mundo maior para os Vingadores apenas estarem nele. Uma vez que eles existem como um time, temos que lidar com o que todos pensam disso, e o que isso significa para o mundo. Então não é simples como já foi.” disse Joss.

Ele também afirmou que ele queria que Ultron fosse o vilão da continuação antes mesmo de dirigir o primeiro filme: “Antes de pegar o emprego, eu disse ‘Bem, não sei se sou perfeito pra isso, se quero ou se vocês querem, mas no segundo, um dos vilões tem de ser o Ultron e ele tem que criar o Visão, que tem que ser interpretado por Paul Bettany.’ Demorou três anos antes de contar para Bettany sobre essa discussão.”

Sobre a criação do vilão que dá titulo ao filme, Whedon disse que inicialmente ele seria a grande próxima ideia” de Tony Stark e Bruce Banner: “No Universo Cinematográfico da Marvel, há vários Frankensteins. O próprio Steve Rogers, um dos mais belos Frankensteins de nossa época. Há muita gente, não importa se estão tentando fazer o bem ou o mal, que acham ter uma grande próxima ideia. E geralmente essa ideia é muito ruim.”

“Forte mas danificado pelo poder’ descreve cada personagem nesse filme. Pode, na verdade, descrever sobre o que se trata o filme. Sabe, quanto mais poder você tem, menos humano você é. O que torna tão difícil de escrever o Hulk, por exemplo, é que você finge que ele é um lobisomem quando é, na verdade, um super-herói. Você quer vice-versa. Você quer vê-lo e Banner não quer, e você não quer que Banner impeça seu caminho. Então a pergunta é, como ele progrediu? Como podemos trazer mudanças ao que o Hulk faz?”

Sobre se Ultron ser o vilão supremo ou, talvez, o herói supremo, Whedon disse: “Ultron sente um certo distanciamento da humanidade. Quano ele tiver suas cenas, você vai querer que ele entenda que não é o herói. Com sorte, vai se livrar disso… se não concordar com ele, vai entendê-lo e entender sua dor, que o leva a muita destruição e algum humor. James Spader é muito versátil e tem sido o tempo todo, ele está muito interessado no mecanismo do mecanismo e encontrar a humanidade. Eu e ele compartilhamos de um genuíno amor por essa versão do Ultron, e ele possui uma excentricidade inata que é tudo que eu esperava que Ultron fosse.”

Para construir digitalmente Ultron, Whedon disse que Spader teve de vestir “uma coisa gigantesca cheio de pontos vermelhos e um capacete com duas câmeras e luzes para captar sua performance.”

Fonte



Bem, quem me acompanhou no twitter (@ChrisHBrasil) viu meus chiliques durantes nossas vitórias, com exceção da última e provavelmente mais esperada, já que o twitter me bloqueou. Mas como o próprio título já diz, foi muita pipoca dourada! VINGADORES levou o prêmio de MELHOR FILME, CHRIS E TODO O CAST levaram o prêmio de MELHOR LUTA e para finalizar, TOM HIDDLESTON ganhou como LOKI, em MELHOR VILÃO (ou mais malvadinho).

No entanto nosso querido Chris Hemsworth não apareceu. Os únicos presentes do cast de Vingadores foram Samuel L Jackson, Tom Hiddleston, Chris Evans e o lindo do diretor, Joss Whedon. Parabéns a todos! Foram vitórias merecidas e que compençaram todas as outras perda para Jogos Vorazes, que, por falar nele, levu um dos Hemworths, Liam, ao palco para apresentar o trailer de Em Chamas.

 

Confira a lista completa dos ganhadores:
Filme do Ano
Os Vingadores, de Joss Whedon

Melhor Ator
Bradley Cooper – O Lado Bom da Vida

Melhor Atriz
Jennifer Lawrence – O Lado Bom da Vida

Revelação
Rebel Wilson – A Escolha Perfeita

Melhor Performance “Scared as S**t”

Suraj Sharma – As Aventuras de Pi

Melhor Dupla
Mark Wahlberg e Seth MacFarlane – Ted

Melhor Performance Sem Camisa
Taylor Lautner – A Saga Crepúsculo: Amanhecer – Parte 2

Melhor Luta
Robert Downey Jr., Chris Evans, Mark Ruffalo, Chris Hemsworth, Scarlett Johansson e Jeremy Renner contra Tom Hiddleston – Os Vingadores

Melhor Beijo
Jennifer Lawrence e Bradley Cooper – O Lado Bom da Vida

Melhor Momento WTF!
Jamie Foxx e Samuel L. Jackson – “Candieland Gets Smoked” em Django Livre

Melhor Vilão
Tom Hiddleston – Os Vingadores

Melhor Momento Musical
Anna Kendrick, Rebel Wilson, Anna Camp, Brittany Snow, Alexis Knapp, Ester Dean eHana Mae Lee – A Escolha Perfeita

 

 



TODOS OS DIREITOS RESERVADOS • Layout por CHBR & codificado por Lannie D